Dom Antonio

DOM ANTONIO DE ORLEANS E BRAGANÇA

 

Sua Alteza Imperial e Real o Senhor Dom Antonio João Maria José Jorge Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orleans e Bragança, Príncipe do Brasil, Príncipe de Orleans e Bragança, é o terceiro na linha de sucessão ao Trono e à Coroa do Brasil, sendo o eventual sucessor dinástico de seus irmãos, os Príncipes Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, e Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil.

 

INFÂNCIA

Nascido no dia 24 de junho de 1950, no Rio de Janeiro, é o sétimo dos doze filhos do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, então Chefe da Casa Imperial do Brasil, e de sua esposa, a Princesa Dona Maria da Baviera de Orleans e Bragança.

Seus padrinhos de batismo foram o Arquiduque Georg da Áustria, Príncipe da Toscana, primo-irmão de seu pai, e a sua tia materna, a Princesa Eleonore da Baviera (Condessa Konstantin de Waldburg-Zeil pelo casamento).

Em 1951, a Família Imperial Brasileira transferiu-se para a Fazenda São José, em Jacarezinho, mudando-se em 1957 para a Fazenda Santa Maria, em Jundiaí do Sul, ambas cidades do Norte do Estado do Paraná, então a grande fronteira agrícola do Brasil. Em 1965, fixaram residência no Sítio Santa Maria, em Vassouras, antigo polo cafeeiro do Império no Centro-Sul do Estado do Rio de Janeiro.

 

FORMAÇÃO E ATIVIDADE PROFISSIONAL

Estudou no Colégio Cristo Rei, em Jacarezinho, e no Colégio de Vassouras. Em 1976, concluiu o curso de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia de Barra do Piraí, no Sul do Estado do Rio de Janeiro.

Como engenheiro, trabalhou na Construtora Adolpho Lindenberg, onde começou ainda como estagiário, e na NUCLEN, empresa de capital misto formada pelo Nuclebrás e pela empresa alemã KWU. Depois compôs a assessoria da Presidência da Varig Agropecuária S.A. e atuou na área comercial de diferentes empresas do Grupo Belga-Mineiro. Atualmente está aposentado.

É ainda artista de grande renome, tendo produzido até o momento cerca de seiscentas aquarelas, nas quais invariavelmente retrata as belezas naturais da arquitetura tradicional do Brasil Colonial e da Europa Medieval. Suas obras já foram expostas nas principais capitais e cidades brasileiras e europeias, recebendo sempre aplausos consagradores.

Além do português, fala fluentemente francês e compreende bem alemão e inglês.

 

CASAMENTO

No dia 26 de setembro de 1981, desposou a Princesa Christine de Ligne. O casamento foi celebrado na Igreja de Saint-Pierre, em Beloeil (Bélgica), por Monsenhor Eugenio Cardinale, Núncio Apostólico em Bruxelas, que transmitiu aos noivos a bênção pessoal do Papa São João Paulo II.

Deste feliz matrimônio nasceram-lhes quatro filhos – o saudoso Príncipe Dom Pedro Luiz, a Princesa Dona Amélia, o Príncipe Dom Rafael e a Princesa Dona Maria Gabriela de Orleans e Bragança – e dois netos – Joaquim e Nicholas, filhos da Princesa Dona Amélia e de seu marido, o Senhor James Spearman, de Perth, no Reino Unido.

Em 2015, após vinte e sete anos felizes residindo em Petrópolis, a Cidade Imperial, na Região Serrana do Rio de Janeiro, mudaram-se em definitivo para um apartamento no Bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro.

 

 

PRÍNCIPE DO BRASIL

Assim como os seus irmãos, viaja por todo o País, participando de Encontros Monárquicos e eventos correlatos e proferindo palestras, nas quais aborda especialmente questões históricas. Visita cidades, escolas, universidades e realiza exposições de suas aquarelas, dedicando-se assim ao ideal de Restauração da Monarquia no Brasil.

Frequentemente também é convidado a representar a Família Imperial em solenidades oficiais e semi-oficiais no Brasil e em celebrações monárquicas na Europa.

GOSTOS E PASSATEMPOS

É grande apreciador do golfe e do futebol, torcendo, neste último esporte, assim como toda a Família Imperial, pelo Fluminense Football Club, do Rio de Janeiro.

Interessa-se também por livros e documentários sobre temas religiosos e históricos.

 

HONRARIAS

É Grã-Cruz das Imperiais Ordens de Pedro I e da Rosa (Casa Imperial do Brasil); Bailio Grã-Cruz de Honra e Devoção da Ordem Soberana e Militar de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta (Ordem de Malta); Grã-Cruz da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém (Santa Sé); e Grã-Cruz da Sagrada e Militar Ordem Constantiniana de São Jorge (Casa Real das Duas Sicílias).

 

 


 

DONA CHRISTINE DE LIGNE DE ORLEANS E BRAGANÇA

 

Sua Alteza Imperial e Real a Senhora Dona Christine Marie Elisabeth de Ligne de Orleans e Bragança, Princesa do Brasil, Princesa de Orleans e Bragança, Princesa de Ligne, é a esposa do Príncipe Dom Antonio de Orleans e Bragança, terceiro na linha de sucessão ao Trono e à Coroa do Brasil.

 

INFÂNCIA

Nasceu no dia 11 de agosto de 1955, no Castelo de Beloeil, propriedade ancestral de sua Família na pequena cidade também chamada Beloeil, na Província de Hainaut, no Reino da Bélgica. É a quarta dos sete filhos de Antoine, 13º Príncipe de Ligne, e de sua esposa, a Princesa Alix de Luxemburgo.

Considerada a mais importante Família da Nobreza Belga, a Casa de Ligne tem origens no século XII. Príncipes e Princesas do Sacro Império Romano-Germânico desde 1601, seus membros alcançaram notoriedade como cruzados, heróis de guerra, diplomatas, articuladores políticos e artistas.

Seus avós maternos foram a Grã-Duquesa Charlotte de Luxemburgo e o Príncipe Felix de Bourbon de Parma, primos-irmãos, netos do Rei Dom Miguel I, bisnetos do Rei Dom João VI de Portugal e, portanto, sobrinhos-netos do Imperador Dom Pedro I e primos-sobrinhos do Imperador Dom Pedro II.

Seus padrinhos de batismo foram o seu tio paterno, Baudouin, 12º Príncipe de Ligne, e a sua tia materna, a Princesa Elisabeth de Luxemburgo (Duquesa de Hohenberg pelo casamento).

 

FORMAÇÃO E ATIVIDADE PROFISSIONAL

Fez os seus estudos no Colégio das Irmãs de São Vicente de Paula, em Beloeil, no Internato das Freiras Dominicanas de Froyennes, em Tournai, também na Bélgica, e no Colégio da Assunção, em Paris (França), onde prestou o baccalauréat (vestibular).

Viajou então para a Índia, onde passou seis meses treinando Enfermagem junto às Irmãs da Ordem de Santa Cruz.

Retornando à Europa, estudou Filosofia na Universidade de Madri (Espanha), antes de ingressar no Instituto Superior de Tradutores e Interpretes de Bruxelas (Bélgica).

Depois de formada, trabalhou como intérprete no Mercado Comum Europeu.

Além do português e do francês, sua língua materna, fala fluentemente inglês e compreende bem alemão e espanhol.

 

PRINCESA DO BRASIL

Acompanha o seu marido quando de suas viagens por todo o Brasil, participando de Encontros Monárquicos e representando a Família Imperial em solenidades em todo o País e também no Exterior, especialmente eventos de grande relevo da realeza europeia, como casamentos e funerais.

Dedicada à caridade cristã, fez cursos de especialização no cuidado de crianças com necessidades especiais e hoje atua como voluntária na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

Visita também orfanatos, hospitais e asilos. E, quando de suas viagens à Europa, procura sempre por inovações com o potencial de melhorar a vida dos brasileiros mais necessitados.

 

GOSTOS E PASSATEMPOS

Em seu tempo livre, dedica-se a um amplo programa de atividades culturais, que inclui exposições, espetáculos e artes em geral, além de conferências e palestras, o que sempre fez parte de seus interesses, assim como a música, pois participou de corais religiosos na juventude, maravilhando-se ainda hoje com a qualidade dos corais brasileiros.

 

HONRARIAS

É Grã-Cruz da Imperial Ordem da Rosa (Casa Imperial do Brasil); Grã-Cruz da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém (Santa Sé); e Dama da Real Ordem da Rainha Santa Isabel (Casa Real de Portugal).

 

A Família Imperial