Dom Bertrand

DOM BERTRAND DE ORLEANS E BRAGANÇA,
PRÍNCIPE IMPERIAL DO BRASIL

 

Sua Alteza Imperial e Real o Senhor Dom Bertrand Maria José Pio Januário Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil, Príncipe do Brasil, Príncipe de Orleans e Bragança, é o herdeiro presuntivo dos direitos dinásticos e primeiro representante de seu irmão, o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil.

 

INFÂNCIA

Nascido no dia 2 de fevereiro de 1941, em Mandelieu-la-Napoule, Balneário no Sul da França, é o terceiro dos doze filhos do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, então Chefe da Casa Imperial do Brasil, e de sua esposa, a Princesa Dona Maria da Baviera de Orleans e Bragança.

Seu nascimento foi registrado no Consulado-Geral do Brasil em Paris.

Foram seus padrinhos o seu tio-avô paterno, o Príncipe Dom Gennaro de Bourbon-Sicílias, e a sua tia paterna, a Princesa Dona Pia Maria de Orleans e Bragança (Condessa René de Nicolaÿ pelo casamento).

Com o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, em maio de 1945, a Família Imperial Brasileira pôde enfim retornar à Pátria, encerrando o injusto e penoso exílio imposto por ocasião do golpe republicano de 15 de novembro de 1889.

Residiram inicialmente no Rio de Janeiro e em Petrópolis, antes de transferirem-se, em 1951, para a Fazenda São José, em Jacarezinho, mudando-se em 1957 para a Fazenda Santa Maria, em Jundiaí do Sul, ambas cidades do Norte do Estado do Paraná, então a grande fronteira agrícola do Brasil.

 

FORMAÇÃO

Estudou nos Colégios Coração Eucarístico e Santo Inácio, no Rio de Janeiro, e no Colégio Cristo Rei, em Jacarezinho. Em 1964, concluiu o bacharelado em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco, da Universidade de São Paulo, onde se destacou como líder estudantil anticomunista. Sua classe é ainda hoje lembrada como “A Turma do Príncipe”.

Sua formação moral e religiosa foi complementada pelo Doutor Plinio Corrêa de Oliveira, eminente pensador católico e monarquista, muito amigo de seu pai, fundador da Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), cuja boa obra é continuada em todo o mundo por Associações co-Irmãs e, no Brasil, pelo benemérito Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (IPCO).

Foi membro da TFP desde o seu início, em 1960, e hoje integra a Associação de Fundadores e o rol de Diretores do IPCO, atuando também em prol das relações entre o Instituto e as suas Associações co-Irmãs nas três Américas e na Europa.

Além do português, fala fluentemente francês e compreende bem alemão, inglês e espanhol.

 

PRÍNCIPE IMPERIAL DO BRASIL

No dia 5 de julho de 1981, por ocasião do falecimento de seu pai e da subsequente ascensão de seu irmão à Chefia da Casa Imperial do Brasil, tornou-se, na condição de herdeiro presuntivo dos direitos dinásticos deste último, o Príncipe Imperial do Brasil.

Desde então, vem se dedicando integralmente ao ideal de Restauração da Monarquia em nosso País, percorrendo todo o extenso território nacional brasileiro participando de Encontros Monárquicos e eventos correlatos, além de manter contato direto com brasileiros das mais diversas origens e pensamentos.

Nos poucos momentos em que a sua agenda lhe permite estar em São Paulo, onde reside, concede audiências a monarquistas e entrevistas à imprensa.

É também frequentemente convidado e representar a Família Imperial em solenidades oficiais e semi-oficiais de nível municipal, estadual, federal ou mesmo internacional.

 

 

GOSTOS E PASSATEMPOS

Afeito ao campo e ao ar livre desde a infância, sempre encontrou tempo para a prática esportiva; a equitação, a pesca submarina, o esqui, o montanhismo e o tiro foram atividades que em diferentes épocas o atraíram. É ainda piloto civil e reservista da Força Aérea Brasileira.

Coordenador Nacional e Porta-Voz da Campanha Paz no Campo, é ferrenho defensor do direito à propriedade privada, opondo-se à invasão de terras e à farsa da reforma agrária. Entusiasta dos avanços técnicos na produção de alimentos e propagandista do potencial do agronegócio brasileiro, viaja por todo o País proferindo conferências e tomando contato com lideranças rurais.

É também autor do livro “Psicose Ambientalista: os bastidores do ecoterrorismo para implantar uma ‘religião’ ecológica, igualitária e anticristã”, sucesso de público e crítica, atualmente em sua sétima edição e bastante elogiado por figuras de relevo na política e no ecologismo. Em sua obra, tendo por base farta documentação e estudos de cientistas sérios, denuncia e desmonta o mito do “aquecimento global”, que, sob o pretexto de salvar a natureza, ameaça o desenvolvimento e o enriquecimento legítimo do povo brasileiro.

Por fim, em seus poucos momentos de descanso, aprecia a leitura de temas históricos e religiosos, sobretudo biografias de Santos canonizados pela Igreja, dentre os quais pode contar alguns de seus próprios antepassados, como São Luiz IX, Rei de França, e Santa Isabel, Rainha de Portugal.

 

HONRARIAS

Como Príncipe Imperial do Brasil, é Comendador-Mor das Imperiais Ordens de Nosso Senhor Jesus Cristo, de São Bento de Avis e de Santiago da Espada e Grã-Cruz e Grande-Dignitário-Mor da Imperial Ordem da Rosa, bem como Grã-Cruz da Imperial Ordem de Pedro I (Casa Imperial do Brasil).

É também Bailio Grã-Cruz de Honra e Devoção da Ordem Soberana e Militar de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta (Ordem de Malta); Grã-Cruz da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém (Santa Sé); e Grã-Cruz da Sagrada e Militar Ordem Constantiniana de São Jorge (Casa Real das Duas Sicílias).

 

 

A Família Imperial

Linha de Sucessão ao Trono e à Coroa do Brasil