Pró Monarquia - Site Oficial da Casa Imperial do Brasil
NOTA DE FALECIMENTO

140x140

Sua Alteza Real,
Dona Isabel de Orleans e Bragança, Princesa do Brasil, Princesa de Orleans e Bragança

NOTA DE FALECIMENTO
5 de novembro de 2017

O Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, profundamente consternado, comunica, em seu próprio nome, assim como em nome de seus irmãos, respectivos cônjuges, filhos e netos, bem como em nome de todos os demais familiares, o falecimento de sua muito querida irmã Sua Alteza Real, Dona Isabel de Orleans e Bragança, Princesa do Brasil, Princesa de Orleans e Bragança, que no dia 5 de novembro de 2017, no Rio de Janeiro, depois de uma bem realizada existência, aos 73 anos de idade, confortada com os sacramentos da Santa Igreja e a bênção de Sua Santidade, Deus Nosso Senhor teve por bem chamar a Si.

A falecida era a quarta filha do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil até seu falecimento em 1981, e de sua esposa a Princesa Dona Maria Elizabeth da Baviera.

As exéquias foram realizadas na cidade de Vassouras – RJ, no dia 6 de novembro, com Missa de Corpo Presente na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e sepultamento no jazigo da Família no Cemitério da Irmandade de Nossa Senhora da Conceição.

A todos o Senhor Dom Luiz encarece orações pelo repouso eterno da alma de sua dileta irmã.

Rua Itápolis, 873 – Pacaembu
São Paulo – SP
condolencias@monarquia.org.br


 


Pró Monarquia é uma associação cívico-cultural sem fins lucrativos, fundada em 1990, que tem por finalidade promover, orientar e coordenar iniciativas voltadas à restauração do regime monárquico de governo no Brasil, observada a legitimidade dinástica. Assim, sob os auspícios do Chefe da Casa Imperial do Brasil S.A.I.R. o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, realiza e incentiva atividades de estudo, formação e divulgação concernentes à Dinastia brasileira, à nossa história, valores e tradições, bem como à excelência do regime monárquico enquanto tal e à realidade nacional, de modo a obter a coesão dos monarquistas brasileiros em torno de um mesmo ideário e atrair para a causa monárquica a simpatia e a adesão dos compatriotas.